inspiração pé no chão

Inspiração pé no chão

Se você respondeu NÃO para 1 ou mais perguntas, seja bem vindo ao time! Você é um simples, mas valioso mortal, como a grande esmagadora parcela da população… mundial.

Mas posso abrir o jogo? Tem vezes que tanta coisa linda mais nos frustra do que nos inspira, né não? Quantas vezes não pensamos: “nossa, nunca vou ter um carro desses” ou “poxa, nunca vou ficar gostosa assim…”.
Pois é… confesso que já me peguei  nesse baixo astral ao ler algumas revistas de decoração. “Nunca vou ter uma casa assim…”, pensava olhando aquele pé direito duplo, triplo, com um sofá de 8 lugares e meio que faz curva, reclina e até avisa quando seu programa de TV tá começando.
Depois de quase desistir e me render a um conjunto de sofás com armário grátis em 12x sem juros, resolvi que não ia entregar os pontos não! Decidi que ia queimar os poucos neurônios loiros que tinha para transformar referências impossíveis em idéias fáceis de colocar em prática. Foi assim nasceu esse espaço que você tá lendo agora.
E quer saber? Depois de entrar em contato com tantas possibilidades, eu acabei me libertando desse baixo astral e dessa estética do impossível.  Vou te falar que eu nem acho mais tão bonita essa decoração de catálogo… sabia? Pra mim, a graça tá no inusitado, no personalizado, no seu jeito de agir e de falar, traduzido em forma de sala de estar. 
Por isso, eu resolvi começar uma seção que chamo de INSPIRAÇÃO PÉ NO CHÃO aqui no blog, a primeira em que eu não boto a mão na massa, mas por um bom motivo! A idéia é  mostrar soluções  simples e cheias de charme, que podemos colocar em prática em pouco tempo e com alguns trocados. Vamos exercitar o olhar para o simples e belo? São fotos de casas de gente como a gente, sem glamour, sem rococó, mas com muita personalidade, alegria e, sobretudo, harmonia.
Vamos lá?

O que falar desse armário, me diz? Você vai precisar de quanto? 20 reais? Até menos, cara pálida! Na parte de cima, tinta de lousa escolar na cor preta que, como diria no comercial, “você encontra nas melhores lojas de tinta do seu bairro”. Não sabe como pintar? Tem aqui, ó.
Na parte de baixo, um pedaço de tecido colado com cola branca ou, para os sem jeito, papel contact, aplicado diretamente sobre a superfície.
Reparou nas cestinhas de palha para dar uma organizada nas miúdezas? Pois é, eu também. 🙂

Como nunca havia pensado nisso antes, me diz? Olha só… no Saara, você encontra essas moldurinhas em madeira crua por três dinheiros. Pra resolver o colorido de uma vez por todas, tinta em spray nelas! Não sabe fazer? Vê se isso aqui te ajuda.
Reparou que o gênio dono dessa cozinha deixou algumas moldurinhas na madeira mesmo, sem pintar? Repara como dá uma boa neutralizada no coloridão…
Ainda achou demais? E se você pintar as moldurinhas todas de uma cor só e imprimir as fotos em preto e branco? Ah… agora estamos nos entendendo, né?
Para fixar os quadrinhos, nada de furar seu rico armário. Use fita VHB ou banana que, se cansar, basta limpar tudo com um bom removedor.

Essa mesinha da cozinha ganhou meu coração. Depois dela, você pense duas vezes antes de jogar uma mesa velha fora ou recusar a doação daquela mesa feinha que sua tia avó insiste em largar na sua casa, hein?
Saca só o chão, nessa cor tijolo. Você gosta? Se o dono dessa cozinha fosse qualquer mortal, ele evitaria abusar de qualquer outra cor no ambiente para não “brigar” com o chão. Mas como esse ser é uma pessoa “iluminada”, ele, ou melhor, ela (por que com certeza é “ela”, né?) escolheu outras duas cores para desviar a atenção do chão.
Então, já sabe, né? Uma cor ingrata se resolve com mais cor, estrategicamente calculada, mas ainda sim, mais cor!
E o quadro gigante na parede da cozinha? Quem disse que não pode? Talvez ficaria um pouco estranho se usado sobre os azulejos. Mas sobre a parede, e ainda verde, olha que lindo que ficou. O quadro grande e branco dá uma boa equilibrada na parede verdona. Caso contrário, como o espaço é pequeno, a pessoa poderia se sentir dentro de uma ervilha, de tanto verde para todo canto. Mas parte da parede ocupada com outra “distração” resolve bem esse problema, não?

Era uma vez um banheiro anêmico. Mais sem graça que ele,impossível. Piso branco, parede branca, vaso branco e pia… adivinha! Isso mesmo.
Aí vem uma boa alma e aplica a técnica de revitalização-de-espaços-em-estado-terminal-com-limitação-orçamentária: cores, plantas e acessórios. 
Não tem quebra-quebra, não tem tinta, não tem poeira! Tem carinho e cuidado com os detalhes.
Um espelho antigo recebeu uma camada de tinta, assim como a prateleirinha abaixo dele e o banquinho no canto esquerdo.
As plantinhas garantem a mensagem: existe vida nesse planeta.
Sabendo que o espaço é pequeno, a pessoa não colocou cortina na janela para aproveitar o máximo de luz, imagino eu!
E as bandeirinhas? Preciso comentar?
Como foi uma mudança rápida da água pro vinho, fiquei sabendo que esse banheiro anda meio deslumbrado. Pega leve, viu banheiro… toda essa sua beleza cabe dentro de uma caixa de papelão!

As molduras? Uma reunião de garimpos de brechó, achados no lixo e doações da tia-avó. Assim mesmo, tudo desconexo e descombinado. Não faz sentido?
Os posters? Os seus preferidos, baixados da internet e impressos numa gráfica legal. Lembra que já falamos sobre posters aqui, aqui e aqui?
A cômoda? Atingiu status de estrela do ambiente com tinta e puxadores novos.
A cadeira também recebeu um carinho em forma de tinta.
A caixa de feira está ali, como veio ao mundo, mas devidamente limpa (assim espero). Faz as vezes de uma mesinha para apoiar uma planta, guardar livros, revistas ou tudo ao mesmo tempo. Essa coisa de caixa de feira é tão versátil, né? Vou testar rs.
O pisca também, no seu estado “in natura”, emaranhado e dentro de um potão de vidro. Suspirei 3 vezes.

Calma, não estou pedindo pra você pegar a sua geladeira novinha, que você tá pagando a prestação 8 de 12, e se jogar na tinta. Mas e aquela que tá esquecida lá no sítio, na área de serviço… resumindo: a que está de escanteio! De patinho feio a menina dos olhos em 2 mãos de tinta.
Ah, já sabe né? Essa tinta vende em qualquer loja de tinta e você pode bá, blá, blá…

Me contaram que esse banheiro andava infeliz. Mas olha aqui, ó… de menina eu só tenho essa carinha, viu? Desde quando esse banheiro foi triste? Eu não consigo imaginar! Só vendo! Se bem que, pra ver, o dono dele teria que tirar toda essa belezura da parede, né? Tá bom… então acredito.
Essa pessoa que inventou essa bossa deveria ganhar o prêmio do design filantrópico! Sério. Porque, pra pessoa, não custou nada fazer isso! Mas o bem realizado ao espaço não tem preço.
Reparou que estamos falando de cartões postais, fotos e recortes de revista? De moldura, moldura meeeesmo, só tem uma, talvez pra mostrar que toda essa bagunça foi milimetricamente calculada. Para prender? Fita crepe, dupla-face, chiclete (não recomendado), o que tiver à mão!
_________________________________________________
Então fica combinado assim? Toda vez que tiver esse selo lindo que você viu aí em cima, quer dizer que vamos ter esse papo pé no chão. Aliás, por favor, sobe a barra de rolagem novamente e saca o selinho que tô falando. Ele foi criado pela Louise Haas, minha amiga do trabalho e salvadora da pátria quando se trata de fofurices aqui pro blog! Obrigada, viu?
 
Fonte (na ordem de aparição):11magnolialane.com, apartmenttherapy.com, bloesem.blogs.com, confettigarden.tumblr.com, flickr.com, pinterest.com, poppytalk.blogspot.com