antes e depois Nem fácil nem difícil

Uma questão de panda(s) (Repaginar móveis usados)

É sempre uma alegria participar do Decora! Cada convite acompanha aquela sensação gostosa de desafiozinho, sabe? Que me sacode da rotina e ainda nos presenteia sempre com um post pra lá de original aqui pro blog. Porque em qual outra situação você veria um carrinho de cabeleireiro multicolorido ou uma cômoda de pandas por aqui?

Eu disse pandas? Na verdade, eu só repeti! Pois meus “clientes” desse episódio estavam mais do que decididos. Queriam uma parede de planetas aqui, um vermelho acolá e que sua cômoda branca se transformasse numa cômoda de pandas!

E como pedido feito é pedido executado, saiu uma cômoda de pandas pro Henrique e pra Helena. 🙂
Pois é, eu sou uma pessoa horrível que esquece de fotografar os passo-a-passos.  Mas pra compensar, fiz fofurinha na lista de materiais necessários e vou ser detalhista na explicação, tá valendo? 🙂
A cômoda das crianças era feita de MDF revestido. Ou seja: aquele móvel lisinho, que parece até laqueado, que você encontra nessas mega lojas de decoração. E pra quem sempre pergunta se dá pra mudar um móvel desses, aqui está a resposta! Pra começar, dei uma B.O.A. lixada nele e depois passei um pano com álcool pra tirar qualquer gordura e poder receber a tinta sem problemas.
Como o tempo era curto, optei pela tinta em spray fosca na cor verde. Lembrando que o casal de irmãos divide o quarto! Por isso, tentei o meio do caminho entre o menininha e o só pra rapazes. E qual a tinta? MTN 94, cor Verde Thai. Duas mãos foram suficientes.
Mas vai por mim? Se você tiver mais tempo que eu, use uma tinta acrílica mesmo, dessas de pintar parede, com um rolinho de espuma. Faz menos sujeira, é mais barato, mais fácil de pintar e o acabamento fica parecido. Só preste atenção que, no móvel, a tinta acrílica costuma ficar 1 tom mais clara que na cartela de cores da loja! Então já sabe…
As gavetas receberam essa impressão de pandas que eu montei num editor de imagens. Levei numa gráfica para imprimir numa plotter e, pra caprichar ainda mais no acabamento, pedi uma laminação fosca por cima, para proteger o papel da umidade e do verniz.
“Ahhh, Thalita, mas eu não sei mexer em editores de imagem… snif!!” Já estava esperando alguém choramingar se pronunciar! Se você não tem muita intimidade com o editor de imagens pra fazer seu próprio layout, um papel de presente bonito tá valendo. E mais: os papéis de presente já costumam vir com essa laminação fosca ou brilhosa. Ou seja: meio caminho andado.
O papel de pandas foi cortado com estilete para ficar exatamente do tamanho da frente das gavetas. Na última hora, as laterais continuaram branquinhas, pois achei que deu uma leveza a mais pro verde, não achou?
Para fixar o papel na gaveta, nada de cola! Depois que descobri o poder da fita dupla-face, nunca mais quis saber de me lambuzar ou de temer as rugas e bolhas no papel! A fita precisa ser boa, tá? Não me venha com aquelas fitas fraquinhas pra depois falar que tentou e não deu certo rs.
Os puxadores receberam 2 mãos de tinta em spray laranja. (MTN 94, cor Naranja Fênix).
E depois de tudo pronto, 2 camadas de verniz em spray fosco (Colorgin para artesanato). Do verniz em spray em não abro mão! E nem você deveria, viu? Ele dá “O” acabamento pra peça, além de protegê-la de futuras limpezas.

 

E ficou assim! Gostando ou não, eu só falo uma coisa: é tão bom estar de volta… 🙂