sites do coração

De gente fina, elegante e sincera

Dia desses, um amigo me procurou doido pra me mostrar “um tal de um site aí cheio de casa que era a nossa cara.” É claro que eu já pensei logo num site gringo de revista de decoração ou coisa parecida. Acontece que, confesso, vai… subestimei a dica que estava por vir. Eis que ele digita “Air Bnb”, clica em “estou com sorte” e… o que eu vejo?

Eu vejo não só algumas, mas dezenas de casas lindas, de tudo quanto é lugar do mundo, de casa de verdade, casa pé no chão. Eu vejo cor, eu vejo personalidade e até uma certa história. Eu vejo um novo começo de era, de gente fina, elegante e sincera, com habilidade pra dizer mais “sim” do que “não”. De gente que diz “sim” ao abrir as portas da sua casa para que pessoas de todo canto possam pegar emprestado, nem que seja por alguns dias, o jeito de morar daquela cidade que estão visitando.

Pois é. O Air Bnb é um site – ou melhor, uma rede social – pra quem é evoluído (ou seria desprendido?) o bastante para abrir as portas da própria casa por uma temporada para que outros possam alugar. Enquanto isso, o proprietário tá por aí no mundo, explorando outros ares e outras casas. Muitos donos dos apês só aceitam alugar para outros usuários cadastrados. Ou seja: para habitar, tem que deixar ser habitado também. Justo, justíssimo. Depois que você se cadastra, um fotógrafo da equipe tira fotos da sua casa para publicar no site e assim garantir a veracidade das informações. Sabe primeiro mundo? Tipo isso. Mas fique você sabendo que tá assim de casa brasileira por lá, viu?

Os preços? Camaradas, acredita? O robô reconhece que você é brazuca e te mostra os preços em real. Dá pra achar lindas opções na faixa dos R$100/dia, pra um casal.

Dedinhos coçando para cadastrar o cafofo aqui… mas e as roupas? E as tralhas? E os tesouros? Me peguei pensando como ainda falta se desprender, compartilhar, confiar na civilidade do outro… ou seja: evoluir. Da mesma maneira que pensava “como ainda falta…”, também pensava “é possível, vai…”. Pois é. Mesmo sem sair de casa, viajei. 🙂 Passeei entre cidades, suas casas e histórias de quem já ficou por lá. Gostei tanto, mas tanto, que ó… separei até musiquinha pra você se aconchegar na cadeira e viajar também:

 

 

 

 

Imagens dos apês mais tudo-tudo de lindo e quase-nada de caro do Air Bnb.