do <3

Decoração de raiz

Primeiro vieram as revistas. Depois, os programas de TV. Depois vieram os sites, os blogs de decoração e por fim os aplicativos do gênero. E, é claro, todos nos servem como fonte de inspiração e referência. Inspiração nunca é demais, eu sei… mas sabe do que eu mais sinto falta? Daquele tempo em que as pessoas decoravam com menos referência e mais instinto. Da época em que as casas brasileiras tinham a cara do nosso Brasil e eram decoradas por intuição, por costume e por capricho. As referências? Da própria família, dos amigos mais próximos, no máximo da vizinha lá da outra rua. O que era bonito aos olhos, enfeitava. O que era confortável, confortava. O que era gostoso, alimentava. Simples assim, sem medo de quebrar as regras. Aliás, que regras? Essas só vieram depois… junto com as inspirações.

Hoje em dia temos tantas, mas tantas referências que, para muitas pessoas, decorar é eleger uma das infinitas ideias à disposição e copiá-la. A sensação é de missão cumprida, afinal, tiveram poder de escolha para eleger justamente aquela ideia para copiar no meio de tantas opções.

Trocamos cumbuca, patuá e cobogó por “wishlist”, “Design”, “DIY” e o que era pra servir de inspiração se transformou em mandamento.  Quando mesmo que a nossa casa virou home?

E como uma pessoa que passa a vida bisbilhotando casas e jeitos de morar inspiradores, digo de peito aberto e coração apertado: sinto saudade de ver mais casas brasileiras por aí. De espadas de São Jorge, de paninhos sobre a mesa, de cantinho de fé na sala. Sinto saudade de arte na parede que fale português e de cheiro de café sendo passado no meio da tarde. Saudade inclusive de quando a vizinha aparecia para tomá-lo com você. Enfim… saudade da nossa brasilidade impressa em cada canto da nossa casa, da decoração de raiz.

Dia desses me peguei saudosa sobre esse assunto lá na nossa página no Facebook e lancei a pergunta: “O que toda casa brasileira tem que ter?”. O resultado? Uma viagem no tempo coletiva, de muita lembrança e emoção. E, meses depois dessa brincadeira gostosa, eis que o marido me presenteia com essa série de fotos feitas durante um trabalho dele. Talvez elas não te emocionem tanto quanto me emocionaram mas, pra mim, foram uma tremenda de uma declaração de amor. Um verdadeiro presente que me fez voltar aos tempos da casa da minha bisavó no Méier (subúrbio do Rio). Do tempo de bate papo na calçada, de vó fazendo gostosura no fogão, de passarinho cantando na janela, de banho de mangueira e de muitos outros encantos que só quem cresceu numa típica casa brasileira pode entender.

 


E pra você? O que toda típica casa brasileira deve ter? Vamos continuar a brincadeira por aqui? Aproveito e te convido para viajar com a gente e passear pelas mais de 200 respostas inspiradoras compartilhadas pelos leitores (vem por aqui).

Tô esperando a sua resposta, hein? 🙂

Por um futuro com mais inspiração nos acertos do passado. E viva a típica casa brasileira!

Fotos: Leandro Pagliaro